Comentários do Leitor

Dicas para melhorar disfunção eretil como tratar naturalmente a disfunção erétil

tiaga almeida almeida (2020-02-01)


Dicas para melhorar disfunção eretil como tratar naturalmente a disfunção erétil
A maioria dos homens ocasionalmente experimentou alguma dificuldade com seu pênis ficando duro ou permanecendo firme. No entanto, a disfunção erétil é considerada apenas uma preocupação se o desempenho sexual satisfatório for impossível em várias ocasiões há algum tempo.
Desde a descoberta de que o medicamento sildenafil, ou Viagra, afetou as ereções penianas, a maioria das pessoas ficou ciente de que a DE é uma condição médica tratável.
Homens que têm um problema com seu desempenho sexual podem relutar em conversar com seu médico, pois isso pode ser uma questão embaraçosa.



Causas da disfunção eretil
A função erétil normal pode ser afetada por problemas com qualquer um dos seguintes sistemas:
fluxo sanguíneo
Fornecimento de nervo
hormonas
A disfunção erétil pode ser sinal de uma doença física ou psicológica. Ela pode causar estresse, tensão no relacionamento e baixa autoconfiança.
O principal sintoma é a incapacidade de um homem de ter ou manter uma ereção firme o suficiente para a relação sexual.


Pacientes que sofrem de disfunção erétil devem primeiro ser avaliados para verificar a presença de condições físicas e psicológicas subjacentes. Se o tratamento das condições subjacentes não ajudar, medicamentos e dispositivos auxiliares, como bombas, poderão ser prescritos.

A antes chamada “impotência sexual” hoje é denominada disfunção erétil (DE). Por definição, a disfunção erétil é a incapacidade de se obter e/ou manter a ereção peniana “suficiente para o desempenho sexual satisfatório”.
Vários estudos demonstram que até 52% dos homens podem ter algum grau – leve, moderado ou grave – de disfunção erétil. A DE diminui muito a qualidade de vida de muitos homens podendo também comprometer o relacionamento do casal. Antes um grande tabu – até hoje ainda é para alguns homens –, a DE vem cada dia mais sendo discutida entre os homens e seus urologistas.
Do ponto de vista didático podemos dividir as causas da DE em dois grandes grupos: causas psicológicas e orgânicas. A psicológica em geral é recente, de início abrupto e não está associada a fatores de risco orgânicos. Muitas das vezes é intermitente, acontecendo em algumas situações, com determinadas parceiras ou em determinados locais. Muitos dos homens referem masturbações normais, mas não conseguem ereção satisfatória na relação sexual.
Já a DE de causa orgânica em geral vem de longa data, com a qualidade da rigidez diminuindo progressivamente ao longo dos meses e anos e não é intermitente. Em geral, é proveniente de alterações vasculares (artérias e veias) do pênis, alterações na inervação do pênis ou fatores endocrinológicos (homens com DE devem sempre fazer a dosagem da testosterona). Pode ser também devido a algumas doenças locais no pênis, como o aparecimento de fibroses.
Fatores de risco
Na maioria das vezes, a DE orgânica está relacionada a fatores de risco como diabetes, hipertensão arterial, colesterol e triglicérides altos, obesidade (a chamada Síndrome Metabólica), vida sedentária, álcool em excesso, fumo, depressão etc. Mudanças de hábitos e controle desses fatores de risco podem melhorar as ereções em muitos dos homens. Não devemos esquecer também que alguns medicamentos podem influenciar na qualidade das ereções e sua substituição por outros medicamentos – sob supervisão médica – pode reverter o quadro.
Quando a causa é psicológica, apenas uma boa orientação pode ser suficiente para melhorar a situação, mas muitas das vezes temos que recorrer à terapia sexual breve, que é realizada em geral entre dois a seis meses visando a diminuir ansiedade em relação ao sexo e o chamado “temor de performance”, que é o medo de entrar na relação sexual e não conseguir a ereção. Por vezes, podemos associar medicamentos à terapia sexual para facilitar a ereção.
O tratamento de primeira linha hoje para a disfunção erétil são os medicamentos orais da família dos inibidores da fosfodiesterase tipo 5. São facilitadores da ereção e necessitam de desejo e estímulo para que a ereção ocorra. Devem ser tomados em torno de uma hora antes da relação.
Quando esses medicamentos não têm bom resultado, a segunda linha de tratamento são medicamentos que podem ser injetados dentro do pênis através de uma pequena seringa e agulha. Em geral é indolor, e a ereção ocorre dentro de 5 a 10 minutos. São medicamentos indutores da ereção. Quando esses também não funcionam, podemos lançar mão da cirurgia de implante da prótese peniana, cujo objetivo é proporcionar uma rigidez adequada ao pênis. As próteses podem ser maleáveis ou infláveis.
O homem com disfunção erétil deve procurar seu urologista para discutir o melhor tratamento para seu problema, seus riscos, contraindicações e efeitos colaterais. Atualmente a disfunção erétil é sempre tratável, mas o tratamento deve ser individualizado para cada paciente.
A disfunção erétil é geralmente causada por fatores físicos e psicológicos, afetando muitos homens. Existem muitos medicamentos no mercado para tratar a disfunção erétil, mas muitas pessoas preferem tratá-los através de rotas naturais e não medicamentosas.
Quais são as técnicas para o tratamento da disfunção erétil?





https://www.drsaudemasculina.com/2020/01/dicas-para-melhorar-disfuncao-eretil.html



A submissão de artigos está sendo feita no novo Portal da Revista de Alimentos e Nutrição
Será necessário se recadastrar para submeter novos artigos