Comentários do Leitor

ArgCast #101 Orgulho Da Prateleira 2 Dinamo Estúdio

Leonardo Moura (2018-04-23)


estantes colecionadorproblema deste caso e que jogos raros podem ser muitas vezes jogos bons ou ruins e acreditem normalmente a quantidade de jogos ruins prevalece, coisas nojentas tipo Cheetahmen, ou seja um colecionador caçador de tesouros deve ter em mente que sua coleção e feita de raros sendo lixos industriais ou não.

Isso fez com que eu tivesse que moderar a presença de vidros na cristaleira como vocês podem ver nas fotos. Outro ponto não negociável para mim era a proteção das peças frente à poeira. Embora a cristaleira fosse bem fechada ainda restavam frestas entre as portas que permitiriam a entrada de poeira, ainda mais diante do fato de haver uma construção aqui perto de casa que manda verdadeiras nuvens de pó na direção das minhas janelas. Essa questão eu resolvi comprando uma tira adesiva em uma loja de materiais de construção específica para se vedar frestas. Essa tira possui pequenos pêlos em uma de suas faces. Como vocês podem identificar na última foto desta matéria, essa fita pode ser vista nas laterais das portas.

Em compensação, essas estantes da Evolukit são expansíveis. Esse é justamente pulo do gato, pois agora eu não preciso mais comprar uma estante inteira. Se meu gasto dessa vez foi bem pesado para adquirir a primeira, de agora em diante eu posso apenas ir comprando uma prateleira nova quando precisar, reduzindo e muito meus gastos no futuro. Claro que vai continuar um pouco pesado, pois apenas uma prateleira com suportes já custa uma média de R$ 100,00, porém eu gastaria no mínimo R$ 400,00 para comprar uma das antigas sapateiras e ainda reforçar elas, então as da Evolukit acabam se pagando na durabilidade.

Eu uso esses saquinhos que dá pra abrir e fechar. Fica um efeito bacana na estante até e é bem prático. Nessa prateleira da estante , metade são os 140 gibis do Zé Carioca e a outra metade são os gibis do Pato Donald que devem estar beirando por aí também.

Ibáñez é um livro bem representativo e importante em qualquer coleção de HQs argentinas. É a única colaboração de dois grandes nomes dos quadrinhos, Robin Wood e Enrique Breccia. Esta edição de 2006 da Doedytores reúne pela primeira vez em livro as histórias dos autores em seu formato original preto e branco. É que nos anos 1980 a editorial Columba coloriu os originais de Breccia em uma tentativa de popularizar as histórias, mas tratamento foi horrível e bem aquém dos traços do desenhista argentino.

A espessura da barra é de 8 milímetros. É suficiente parar fazer uma viga da laje da sua casa, então fique tranquilo que ele vai aguentar peso de seus quadrinhos. Quando as duas pranchas de madeira estão coladas, esse vergalhão vai ficar entre elas na parte interna. É exatamente ele que vai impedir que a estante venha à envergar e ter aquela barriga que deixa um aspecto horrível. Importante ressaltar que vergalhão tem que ser de 2.0cm (dois centímetros) maior em cada um dos lados da prateleira. Essa parte que sobra" para fora da prateleira vai entrar dentro de cada lado da estrutura lateral da estante.

A biblioteca infantil disponibiliza obras infantis e juvenis, gibis, revistas, em um ambiente alegre e acolhedor. Guilherme Mattje é analista de sistemas por profissão e um apaixonado por miniaturas desde sempre. Idealizador e autor do blog sobre miniaturas mini Ás, também faz parte do time ColeçãoVirtual. Enquanto toma café e escreve seus artigos, gosta de contribuir para facilitar a vida dos colecionadores.

Já li um bocado de coisa nessa vida, já tive algumas respostas diferentes pra essa pergunta e talvez minha opinião ainda venha a se renovar um dia. Ler um romance é uma experiência bem diferente de uma hq, ritmo de leitura é outro, as sensações de ler só letras e imaginar todo resto é diferente de ver ilustrações e balões de fala em diferentes formatos e cores e, apesar de serem narrativas, os dois universos são diferentes demais. Não tem melhor ou pior, tem apenas diferentes. Não sei que vou querer ler amanhã, sei que minha estante tem de tudo. Concordo com Paulo Ramos, história em quadrinhos é uma mídia à parte da literatura.

Espero que (assim como disse ao Alexandre acima) vc encontre a melhor solução para a exposição. Nós colecionadores, em geral, somos muito exigentes com essa questão da exposição. Quando encontrar uma solução compartilhe para que seja mais uma ideia.

Com tempo, as revistas que não são vendidas vão paras as caixas da próxima foto. Elas ocupam espaço maior da loja, só com revistas mais antigas. É um corredor bem grande com edições de vários anos. Esse espaço é dedicado quase integralmente aos quadrinhos de grandes editoras dos Estados Unidos e da Inglaterra. Talvez seja sensacional para colecionadores em busca de alguma edição avulsa perdida. Quando visito a loja nunca passo muito tempo ali. Meu lugar preferido é uma sala anexa a esse corredor, dedicado aos quadrinhos independentes, que também tem revistas infantis. No momento está abarrotado de obras dedicados a Hora da Aventura.



A submissão de artigos está sendo feita no novo Portal da Revista de Alimentos e Nutrição
Será necessário se recadastrar para submeter novos artigos