Alimentos e Nutrição Araraquara, Vol. 9, No 1 (1998)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

Avaliação da qualidade e composição de temperos alho e sal industrializados, comercializados na cidade de Juiz de Fora

W. CARVALHO, C. A. S. SILVA, M. A. P. VILELA, V. M. MEURER

Resumo


Este trabalho teve como objetivo estabelecer um perfil de composição físicoquímica, microscópica e sensorial de temperos do tipo alho e sal industrializados. Foram analisadas trinta amostras, coletadas ao acaso no varejo do município de Juiz de Fora - MG. Os resultados demonstraram ausência de padronização quanto à qualidade microbiológica, aspectos sensoriais e rotulagem Observou-se excessiva concentração de cloreto de sódio nas amostras, com valores percentuais variando entre 69 e 93,22 e média aritmética de 83,74. O teor de umidade variou de 5,76 a 25,54, com média aritmética de 12,08 (valores percentuais) Com relação às amostras, 4,17% delas encontraram-se em desacordo com a legislação vigente no que diz respeito à contagem de bolores e leveduras. A microscopia não se mostrou eficiente para verificar a composição deste produto, impossibilitando a detecção de possíveis adulterações com cebola. Preparou-se um tempero-padrão com base nos valores médios de composição, o qual foi submetido às mesmas análises, apresentando composição de 83,78% de cloreto de sódio e 10,63% de umidade. Constatou -se a necessidade de fixação de especificações para teores máximos de cloreto de sódio e umidade, padronização da rotulagem e adoção de boas práticas de fabricação como forma de garantir um produto de melhor qualidade ao consumidor.


Texto Completo: PDF

A submissão de artigos está sendo feita no novo Portal da Revista de Alimentos e Nutrição
Será necessário se recadastrar para submeter novos artigos