Alimentos e Nutrição Araraquara, Vol. 17, No 4 (2006)

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

Perfil de ácidos graxos das microalgas Chlorella vulgaris e Chlorella minutissima cultivadas em diferentes condições

J. A. V. COSTA, E. M. RADMANN, V. S. CERQUEIRA, G. C. SANTOS, M. N. CALHEIROS

Resumo


Estudos recentes têm explorado o uso de microalgas para obtenção de lipídios, principalmente os de maior valor comercial como o ácido -linolênico. A microalga Chlorella possui ácidos graxos poliinsaturados, vitaminas e alto conteúdo protéico, e, além disso, possui o certificado GRAS (Generally Recognized As Safe). O objetivo deste trabalho foi estudar o cultivo das microalgas Chlorella vulgaris e Chlorella minutissima, a fim de verificar o perfil de ácidos graxos frente à variação de diferentes fatores físicoquímicos e nutricionais. Foi utilizado um Planejamento Fatorial Fracionário 24-1 IV para cada cepa estudada, onde foram variados os fatores temperatura, iluminância, fonte de carbono e concentração de nitrato no meio de cultivo. C. vulgaris cultivada a 35ºC, 2500 Lux, 16,8 g.L-1 de NaHCO3 e 1,0 g.L-1 de NO3 - apresentou biomassa máxima de 5,06 g.L-1 em 22 dias de cultivo. Para C. minutissima foi obtida biomassa máxima de 1,5g.L-1 em 22 dias quando cultivada a 35ºC, 1250 Lux, 16,8 g.L-1 de NaHCO3 e 0,5 g.L-1 de NO3 -. Os maiores teores de lipídios obtidos para C. vulgaris e C. minutissima foram 6,96% e 7,98%, respectivamente. A 35ºC e 2500 Lux foi obtido 7,66% de ácido linolênico.


Texto Completo: PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários

A submissão de artigos está sendo feita no novo Portal da Revista de Alimentos e Nutrição
Será necessário se recadastrar para submeter novos artigos